Falta de Tempo? Primeiros passos para o Slow Parenting

Falta de Tempo? Primeiros passos para o Slow Parenting

Não é de hoje que sentimos que depois dos filhos começamos a sofrer com falta de tempo… 24 horas? Onde? Sinto que são 12 e olhe lá!
E os dias vão passando e as nossas tarefas vão se acumulando. É dead line no trabalho, festinhas na escola, viagens do marido, comprar presente pro aniversário dos amiguinhos… a lista não tem fim.  Quando paro para analisar o que realmente fiz no meu dia, vejo que muitas coisas poderiam ter sido feitas se eu tivesse me planejado melhor.  Com um pouquinho de foco e organização conseguimos gerenciar melhor nosso tempo. Se você tiver mais  critério no momento de escolher o que fazer e conseguir driblar a culpa de escolher (nem sempre consigo me livrar dela!) tenho certeza que vai sentir que está dando conta do recado.

Quer saber o que tenho feito para melhorar? Veja essas 10 dicas infalíveis para conseguir fazer tudo e depois ainda tomar aquele vinho!

1. Coloque um horário para ir dormir

Nada mais insuportável do que estar sempre cansada e com sono. Seja no escritório naquela reunião chata ou em casa no final do dia, o cansaço é o inimigo número 1 das mães executivas. Ele vem sorrateiramente e nos rouba momentos incríveis com nossos filhos e oportunidades de negócios no trabalho. Viver cansada é um ciclo que gera cada vez mais cansaço e está comprovado cientificamente que dormir é um bom remédio para muitos problemas. Então coloque-se em posição de mãe com você mesma e assim como faz com seus filhos, coloque um horário para você ir para a cama. Aqui em casa durante a semana temos os horários fixos para dormir. Crianças até 20:30 tem que estar na cama e eu até as 23hrs. Com isso consigo descansar as 7 horinhas mínimas para estar bem no dia seguinte. Empresa, marido e filhos agradecem!

2. Estabeleça um limite de horas de trabalho

E avise as pessoas que serão afetadas com isso. Antes de se comprometer com um novo projeto na sua empresa ou um novo trabalho, gerencie as expectativas do seu chefe ou contratante em relação aos seus horários. Esclareça às pessoas que contam com você quanto tempo será dedicado à empresa para evitar conflitos posteriores. Além disso é uma forma de manter a ética empresarial e a sua sanidade. Fazendo isso você evita constrangimentos ao decidir não atender uma ligação de trabalho fora do horário estabelecido. E caso seu chefe seja um workoholic e queira discutir a reunião às 9 da noite, você tem o direito de aceitar ou não. Muitas mães executivas ( e me incluo nessa lista!) separam as noites e finais de semana exclusivamente para a família.

3. Abrace o poder do “Não”

Já sei, já sei…. a lista de pessoas para agradar é tããão grande que fica difícil falar não pra alguém, né? Conheço esse filme e posso te dizer que aprender a falar não para as pessoas é libertador! Mesmo porque só ficar fazendo tudo o que os outros esperam que você faça dá uma sensação ainda maior de perda de tempo. Colocar limites de compromissos nos finais de semana e até mesmo declinar aquela visita dos parentes faz com que você tenha tempo para se dedicar aos seus filhos, marido e principalmente você.

4. Defina metas diárias possíveis

Uma “To Do List” extremamente ambiciosa é inútil. Para quê colocar na lista coisas impossíveis de se fazer naquele dia? Coloque metas realistas e que possam realmente ser atingidas. Lembre-se que sempre podemos fazer algo mais se sobrar tempo…e aí você vai se sentir dona da sua vida!

5. Liberte-se da Perfeição

Já sofri muito com isso… principalmente no quesito “lancheira da escola”. O mantra é: Estou fazendo o melhor que posso nesse momento e isso para mim é suficiente. Repito isso várias vezes por dia para me lembrar que é impossível ser perfeita porque perfeição não existe. Então pare de correr atrás dessa obsessão porque é muito cansativo, sem contar que consome um tempo danado! Tente se enxergar como alguém que faz as coisas com amor e não com perfeição.

6. Fuja da Internet

E qualquer outra coisa que te coloque nesse estado “alfa zumbi nem sei que horas são”. Navegar é preciso mas é uma enorme perda de tempo. Uma olhadela inocente no Facebook pode se tornar 1 hora e meia jogada fora e que não vai voltar mais. A não ser que você realmente precise estar conectada por trabalho ou para fazer algo produtivo (organizar as férias talvez?) estabeleça limites para todos, inclusive as crianças. Sou Mãe Millennial e sou totalmente a favor das novas tecnologias, mas mais que tudo, sou contra extremos. Essa regra tem que existir e ser seguida por todos para que também existam brincadeiras e conversas dentro de casa e no restaurante.

7. Divirta-se

Quando estamos estressadas não somos nada produtivas, em nenhum âmbito. Precisamos relaxar de vez em quando para evitar esgotamento em casa e no trabalho. Peça férias, viaje nos feriados e faça coisas divertidas com sua família para se manter com os pés no chão e com alegria.  Clique aqui e veja uma lista enorme de coisas divertidas para fazer!

8. Esteja mentalmente presente para ser produtiva

Estar alerta e focada faz você se sintonizar com a tarefa que deve ser terminada e consequentemente faz você perder menos tempo. Práticas como meditação ou ioga podem te ajudar a ter mais foco. Busque um método de concentração que mais pareça com você e se sintonize às coisas a sua volta toda vez que se sentir à deriva. Existe na internet hoje vários podcasts de meditação que você pode baixar e tentar. São sessões curtas de até 5 minutos e são extremamente poderosas.

9. Pare de assumir as coisas dos outros

Quantas vezes você já se ouviu dizendo: “Ah, deixa pra lá… depois eu mesma faço.” Com certeza muito mais do que você gostaria. Todas nós Mães Executivas tendemos a fazer mais do que é a nossa real responsabilidade e isso minha amiga, é um dos principais comedores de tempo. Deixe que os outros gerenciem suas próprias responsabilidades. Isso se aplica também aos maridos, filhos e colegas de trabalho. Se for difícil para você assim como é para mim, reforce as meditações e veja como o seu nível de tolerância à lentidão alheia aumenta.

10. Tire o peso das costas e delegue

Delegar é possível. Aprenda a saber o momento de deixar alguém fazer as coisas por você. Abrir mão do controle é muito difícil, mas também é muito necessário. Delegar não é uma derrota, mas sim fazer uso de todo o potencial de sua rede de contatos. Sempre me senti muito bem por ser quem fazia o jantar em casa. Cozinhava quase todos os dias e tinha prazer nisso. Depois das crianças tive que escolher o que priorizar nesse meu tempo livre. Fazer comida ou brincar com eles? Hoje faço de tudo para não precisar cozinhar durante a semana. Delego para minha assistente de casa, minha mãe quando ela oferece e até meu marido. Comidas congeladas também são uma benção!

Acredite, seguindo essas dicas você vai conseguir fazer tudo no tempo que você tem e ainda conseguir umas horinhas livres de sobra. Colocando em prática algumas regras no seu dia a dia você vai ter tempo para fazer algo novo, algo que você queira muito. Não importa o quê, mas que seja maravilhoso e que seja para você, porque afinal a gente merece!

Babá ou Berçário: Tudo o que você precisa saber antes de escolher

Babá ou Berçário: Tudo o que você precisa saber antes de escolher

Para todas nós, mães executivas, o momento de retornar ao trabalho vem sempre com uma grande dúvida: Babá ou Berçário?Se você faz parte do universo de mães que não podem ou não querem contar com  ajuda familiar  para cuidar de seu maior tesouro no pós licença maternidade, você terá que escolher entre essas duas opções.

O que é mais importante para você?  Atenção ou Estímulo?

Como o foco aqui é o bem estar do bebê para que você possa ir trabalhar tranquila todos os dias, o primeiro passo é pensar que tipo de cuidado você quer que ele tenha: atenção total ou estímulo total.

A Babá terá todo o tempo do mundo para cuidar e estar com seu filho. Vai trocar a fralda quantas vezes forem  necessárias, fazer papinhas especiais de acordo com o que ele está sentindo naquele dia, fazê-lo dormir no escurinho, com musiquinha, mamadeira e o mais importante, no silêncio. Vai cantar para ele, levar para tomar solzinho e dar vários banhos no verão.

É o cuidado baseado no conforto, onde a criança não vai passar absolutamente nenhuma necessidade  física, mas terá estímulos limitados.

O Berçário vai proporcionar ao seu filho outras coisas, sendo a principal delas, a independência. Ele terá estímulos visuais e motores, noções de compartilhar  e uma rotina bem estabelecida. Terá atividades dirigidas  de acordo com sua faixa etária e capacidade. Será estimulado o dia inteiro com pessoas especializadas nisso.

É o cuidado baseado no estímulo onde a criança terá a sua disposição especialistas em pedagogia, os amiguinhos, situações diferentes todos os dias, mas com o conforto limitado.

Pegue uma planilha e faça contas!

Segundo ponto não menos importante, é a questão financeira.

No Brasil, as duas opções requerem um grande esforço financeiro dos pais.

No caso da Babá, além de todos os encargos com salário e impostos, você deve colocar na conta o fato de se ter mais uma pessoa na casa. É uma pessoa a mais para comer, beber, para acender a luz e dar descarga, dependendo do acordo, até uma pessoa a mais para tomar banho.

O Berçário não fica muito atrás já que é a etapa mais onerosa do ciclo de vida escolar da criança. São menos crianças em sala do que nos anos seguintes (maternal e jardim), mais tias para cuidar, berços individuais e banho. Também deve ser colocado na conta a comida que você vai levar para a escola ou contratar da escola, que na maioria das vezes é à parte.

Ao concluir qual opção é a que faz mais sentido para você, financeiramente, passamos para o próximo ponto:

Logística, Suporte e Plano B: Todo mundo precisa!

Se vai optar pelo berçário, analise com muito critério onde fica a escola e qual seria o impacto de levar e buscar seu filho todos os dias no seu trajeto para o trabalho. Procure saber o horário de entrada e saída dos portões para calcular os tempos corretamente. Lembre-se que a maioria dos berçários tem um horário limite para a retirada das crianças. Já vi acontecer muitas vezes, minhas amigas que são mães executivas ficam nervosas para chegar na escola antes de fechar porque não conseguem sair da empresa  no horário. Se sabe que não vai dar, procure opções e PEÇA AJUDA! Contrate uma perua, peça para os avós, tios e amigas. Só não vale se estressar todos os dias indo buscar seu filho na escola!

Se a opção for a Babá, a logística é menos complicada, mas tenha em mente possíveis faltas e atrasos. Também é preciso considerar as leis trabalhistas que limitam a jornada em 40 horas semanais. Passou disso, já teria que pagar horas extras. Para as Mães que tem uma flexibilidade de horário maior ou mesmo que tenham opção de home office, a opção da Babá pode ser muito tentadora.

Em qualquer das opções, devemos ter muito claro todos os planos B no caso da sua ajuda diária escolhida falhar.

Se seu filho ficar doente e não puder ir para a escola?

Se a babá tiver um problema e faltar?

Estar preparada para essas situações evita o stress e seu dia com certeza será mais produtivo!

E aí? Difícil não é? Se esse post te deixou mais na dúvida ainda, faça testes. Não existe uma fórmula de sucesso. O que existe é o que é melhor para você e sua família. Não se cobre e não se culpe, pois seu filho sempre saberá que tudo o que você está fazendo é para a felicidade dele.

Boa Sorte!

Pin It on Pinterest